Skip to content

Hezbollah toma oeste de Beirute

9 de maio de 2008

No momento Hezbollah mobiliza seus militantes para tomar o aeroporto internacional.

O Exército do Líbano – Sunita – perdeu o lado oeste de Beirute. As ofensivas dos militantes do Hezbollah – Xiita – resultaram na retirada das tropas. Após um combate intensivo na região, as forças do exército libanês renderam e entregaram a zona oeste de sua capital.

Os combates começaram após uma greve geral na última quarta-feira por melhores salários. Com apoio do Hezbollah, os manifestantes bloquearam ruas e estradas do país, incluindo a via de acesso ao aeroporto nacional, com barreiras de pneus, carros e lixeiras queimados. Prédios foram incendiados e vários jovens ficaram feridos.

A decisão do primeiro-ministro libanês de Fouad Siniora de investigar uma rede de telecomunicação do Hezbollah, acusada de violar a soberania do Líbano, botou mais lenha na fogueira.  A oposição pró-síria lançou a partir desta quarta-feira um movimento de desobediência civil contra o governo e disse que as barreiras rodoviárias vão continuar até que a decisão, tomada ontem, seja revogada.

* Uma guerra civil entre xiitas e sunitas… Irmão atirando em irmão

Cogitam a possibilidade de um golpe de estado. “Eu acho que é um golpe…” disse Walid Jumblatt, líder do partido Druze e membro do governo de coalizão, “o exército libanês está totalmente paralisado”.

Até o momento 11 pessoas foram mortas no combate e 44 foram feridas. As duas Televisões pró-governo – Future TV e al-Ekhbariya TV – foram fechadas para evitar ataques. Os canais de TV pertencem à família Hariri. Saad Hariri, dono dos canais, líder do partido sunita e filho do ex-primeiro-ministro, Rafik Hariri, tiveram o seu complexo atacado logo no começo dos combates.

* Líbano estava há dois anos sem nenhum combate, um repórter da CNN informou que desde a Guerra de 1975-1990 não escuta sons de RPG, lançadores de foguete leve de combate pessoal.
 
 Soldados do Hezbollah utilizando o RPG

Hariri afirma que a atitude do Hezbollah é “de grande engano” e chama a liderança dos xiitas para conversa. Em seu canal de TV, o Hezbollah rejeitou a oferta e pediu que a situação se afastasse do governo para evitar os combates.

Os entraves começaram em 2005, quando Rafik Hariri foi assassinado em um atentado há bomba. Os libaneses acusaram o governo sírio pelo atentado, algo que foi confirmado por investigação da ONU posteriormente.

Neste meio tempo, começaram os combates entre Hezbollah e as tropas israelenses. Após a retirada das tropas sírias do Líbano, o país ficou fraco e a mercê de novos protetores. Os israelenses entraram no combate, Hezbollah havia seqüestrado dois soldados israelenses, e afastaram as milícias xiitas de tomar o governo.

Mas, Israel retirou-se do Líbano após comum acordo com as Nações Unidas.

Desde Outubro de 2007, o Líbano não tem Presidente, apenas primeiro ministro. Atravessa uma grave crise política por falta de acordo entre a maioria anti-síria no poder e a oposição. Agora Hezbollah volta aos combates com provável apoio de iranianos e sírios, além de grande parte da população libanesa.

* Combates em Beirute duram mais de 24 h

Enquanto Israel sofre com mais um escândalo, Beirute se prepara para mais uma guerra civil

* Tudo que Ehud Olmert, primeiro-ministro de Israel, queria… uma guerra para encobrir suas falhas no governo.  A razão é bastante popular nos dias atuais, manter a democracia e impedir o Líbano de tornar-se um estado terrorista.

Por Henrique Medeiros

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: