Skip to content

Fiasco Party

26 de janeiro de 2009

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-fareast-font-family:Calibri;}

A Campus Party estava muito animada…

 
Era melhor o visitante ficar em casa. A Campus Party, grande evento no último final de semana – afinal os 455 anos de vida de SP passaram batido, OBRIGADO KASSAB! – foi um fiasco para seus visitantes. Ao ver nas mídias o evento parecia que ficaria para a história, como a semana de arte moderna de 22. A democracia digital finalmente representada na sociedade brasileira, a possibilidade de qualquer cidadão ver as palestras, o futuro das novas mídias e poder utilizar todo o seu potencial ao extremo.


Mera ilusão… O evento foi um grande fiasco!


O local onde as palestras e a liberdade das redes eram aplicadas pode ser utilizado apenas pelos campuseiros, participantes da área fechada aos pré-inscritos pela internet com valores que variavam entre R$ 150 e R$ 250.

 
Na área livre aos vistantes, poucas atividades de democracia e expansão digital e muitas promoções e vendas. Alguns stands se destacaram como o SENAC ao utilizar de imagens digitais como atrativos e o Twitter, a Cultura/SESC onde apresentava em tempo real pelo seu portal IPTV diversas atrações e manifestações artísticas, a FEI apresentou seus trabalhos de robótica e a CBN com conversas ao vivo e nomes de peso como Juca Kfouri e Milton Jung.


As duas áreas eram divididas por uma parede de acrílico onde de um lado ficavam os flagelados digitais e do outro lado a elite do terabyte, com um grande patrocínio da Telefônica. Senti-me como um animal, para o visitante restou jogar Wii e entrar no stand da Caixa como excluído social e apagar seus Spams.


O evento tinha tudo para dar certo, mas não passou de mais uma feira para mostrar o luxo de micros com preços astronômicos, passeios pela cidade com camisetas nerdescas e conversas sem fundamento, como ao ouvir um blogueiro proteger os pastores da Renascer – sem ao menos saber seus nomes e cargos – e atacar as mídias, inclusive as digitais.


Para este blogueiro restou apenas ser a última voz livre dos visitantes de meros cinco reais e mandar este post para os organizadores do evento, no Brasil e na Espanha.

2 Comentários leave one →
  1. Anônimo permalink
    27 de janeiro de 2009 16:32

    denelzow@gmail.com

    Nem tenho comentários para relatar a Campus Party. A jpg vale por mil resenhas :O) E outra, nada de eventos comemorativas para Sampa, por quê?! É o amado Kassab ama mesmo sua cidade…

    ps. a postagem está ótema! Maneira que desenvolveu o texto e tudo, parabéns!
    ;*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: