Skip to content

Causos de um paulistano no ônibus

11 de março de 2009


Inaugarando uma série nova no blog, espero que os meus três leitores gostem

Ontem por volta das 23hrs estava voltando de ônibus. Subi no "famoso" 675-L Santo Amaro-Santa Cruz, famoso por sempre ter confusão, seja na fila ou dentro do ônibus.

Estava seguindo tranquilo em minha viagem, o transporte estava extramente lotado e eu ia a vagar, pensando nos problemas, soluções e sonhos de minha vida… Quando uma bela moça, esbelta, cabelo loiro como o sol não parava de olhar para este que vos escreve. Nunca fui um Don Juan, e nunca atrai grandes olhares do sexo oposto, apenas quando queriam ou algo ou quando fiz algo de errado.

A menina não parava de olhar, me encarando ou como diria um amigo escaneando de cima em baixo, conversa uma colega sua que estava no banco a sua frente e olhava de nova. Eu estava com uma camisa laranja da seleção holandesa e ainda utilizo aliança de compromisso no dedo, logo meu rosto ficou da cor da camisa de acordo com a encabulação de tal fato. Ela, usava uma calça verde escura delineando suas curvas – não era dessas apertadas, era umacalça normal -, uma túnica branca provavelmente para lhe refrescar devido o calor diário pleo que passa a cidade e uma encharpe verde para dar mais charme aos seus olhos verdes, eles estavam atrás de um óculos lilás mostrando seu estilo ousado e diferente.

Pelo material que ela carregava também voltava da faculdade, provavelmente de moda, publicidade ou artes – ela levava um tubo e uma pasta A3 – ainda assim ela não parava de olhar, olhava inclusive pelo reflexo do vidro e eu pensava "Deuses, será que ela não viu a aliança!?".

Por fim chega meu ponto, sinto-me aliviado de tanto "olhar 43" e quando começo a mover pela muvuca de pessoas ao meu redor eu percebo…estava pisando no pé da menina, bem em cima de seu dedão. Imagino a dor que ela sentiu durantes uns 15 minutos de passeio neste ônibus pouco ortopédico. O mais engraçado é que em nenhum momento ela fez cara de dor ou de raiva por eu estar por cima de seu pé, foi quando minha cara ficou colorada, como a camisa do Internacional de Porto Alegre.

Como tudo nessa vida é causa & efeito, na saída do ônibus uma senhora pisou no meu calcanhar, de cima para baixo. A dor foi tremenda, mas nem reclamei em consideração a bela e brava loira que continuo em sua intrépida viagem.

3 Comentários leave one →
  1. Anônimo permalink
    14 de março de 2009 15:49

    denelzow

    Essa história ficará na história! Há :)

  2. Anônimo permalink
    12 de março de 2009 16:14

    HENRIQUE,

    A minha matéria está no ar:
    http://blogcomunicativa.blogspot.com/

    Adorei nova fase do seu blog!!!

    Crissie

  3. Anônimo permalink
    11 de março de 2009 22:48

    Hilário…

    Crissie

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: