Skip to content

Osesp e orquestra francesa animam a música em SP

24 de abril de 2009

Pra quem não vai à Santos ver o primeiro jogo da final, está de saco cheio de Ronaldo, Neymar e companhia, ou odeia o esporte bretão segue algumas dicas para o fim de semana.

Orquestra francesa grátis no Sesc Itaquera

A orquestra Champs-Elysées se apresenta no Sesc Itaquera com sua formação completa. Sob a regência de Phillipe Herreweghe a orquestra interpreta a obra Sinfonia Fantástica de Hector Berlioz.

Formada pelo próprio maestro Phillipe em 1992, a orquestra faz sua primeira turnê no pais sob a tutela da Sociedade Cultura Artística. O concerto faz parte das fetividades do Ano França-Brasil começa às 15h00, sem custos, mas fica o eterno aviso para chegar mais cedo e disputar o ingresso.

OSESP interpreta Falstaff no retorno de Karabtchevsky

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo interpreta neste fim de semana uma das principais obras de Giuseppe Verdi, a ópera Falstaff, baseada na obra “As alegres comadres de Windsor” de William Shakespeare.

Além da grande importância da obra no repertório sinfônico – exige muito técnica da orquestra, do coro e principalmente dos cantores solistas, Falstaff é a primeira grande ópera de 2009, com o Municipal fechado para reforma a OSESP preenche a lacuna deixada aos fãs da música lírica.

A peça também marca pela primeira vez um cenário de ópera pela OSESP, a orquestra nunca apresentou-se antes com cenário completo, a direção fica por conta de André Heller conhecido pelo público por suas recentes direções com a Orquestra do Teatro Municipal, como a ópera o Castelo do Barba Azul de Bela Bartok.

Com grande solistas convidados a orquestra fica sob a batuta do maestro paulista Isaac Karabtchevsky. Ex-diretor artístico do Theatro Municipal de SP, Karabtchevsky – carinhosamente apelidado de Krusty pelos músicos – é considerado um dos melhores maestros do Brasil, teve passagens marcantes como diretor pela OSB, Ópera de Viena, Fenice na Itália e a Orquestra Tonkünstler de Viena e recentemente regeu a orquestra venezuelana jovem Simon Bolívar, uma das melhores do nosso hemisfério.

Karabtchevsky substitui o antigo regente principal da Osesp demitido recentemente, maestro John Neschling, na condução da peça.

Atual diretor artístico das orquestra Petrobrás Sinfônica, Sinfônica de Porto Alegre e Pays-Loys Karabtchevsky volta a São Paulo desde sua última passagem pela Osesp em 2000.

Com apenas mais um concerto no domingo às 16h a orquestra termina sua curta temporada operística, com ingressos de R$ 30 a R$ 140.

One Comment leave one →
  1. permalink
    24 de abril de 2009 22:24

    Matéria muito boua!
    Convenhamos que a tradição brasileira cultural, precisa começar a aqueçar. Afinal é (quase) ninguém que tem acesso e grana para pagar.
    Neste sentido o Brasil, infelizmente está muito late…
    ;*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: